Sites Grátis no Comunidades.net
Cultura Nativa
Bebida do Gaúcho?
Chimarrão
Vinho
Ver Resultados

Rating: 3.7/5 (3189 votos)

ONLINE
1


Rádio Grenal

Tempo Agora Uberaba MG

 

 Total de Visitas    


Vocabulário Gaúcho
Vocabulário Gaúcho

   

Vocabulário

 

 

 

Se queres se comunicar bem no Rio Grande do Sul. Leia 

                            

Abagualado - O que ainda é muito arisco e espantadiço, como se fora bagual.  

É semelhante a bagual.  


Abichornado- Aborrecido, triste, desanimado.  


Aboletar-se - Instalar-se. Ocupar indevidamente determinado lugar. Receber ou ganhar qualquer coisa. Apoderar-se de algo ou ocupar determindado lugar por esperteza.  


Abrir cancha - Abrir espaço para alguém passar.


Achego - Amparo, encosto, proteção.


Acolherar - Unir dois animais por meio de uma pequena guasca amarrada ao pescoço. Atrelar ou ajoujar animais por meio de coleira. Unir, juntar com relação a pessoas.


Acolherado - Andar acolherados, sempre junto de duas pessoas.

Açoiteira - Parte do relho ou rebenque, constituída de tira ou tiras de couro, trançadas ou justapostas, com qual se castiga o animal de montaria ou de tração.


Afeitar - Cortar a barba.  


Agregado - Pessoa pobre que se estabelece em terras alheias.

Água-Benta - Cachaça, destinada a ser bebida cultamente.


Água-de-cheiro - Perfume, extrato.


Alambrado - Cerca feita de arame para manter o gado nas invernadas.


Aporreado- Cavalo mal domado, indomável, que não se deixa

mansar.  


Aramado - Cerca de arame.  


Arranca-rabo - Discussão acalorada, disputa, bate-boca.


Arreios - Conjunto de peças com que se arreia um cavalo para montar. Babaquara -Toleirão, matuto, ignorante, grosseiro, bobo, atoleimado, bocó.  


Bacagual - Azorrague, açoite, relho, chicote. Tira de couro cru, torcido para servir de corda. Coisa seca. Pessoa muito magra.

Bate Coxa - Baile, dança, arrasta-pé.  


Bagual
- Eqüino selvagem, isto é, ainda não domado. Cavalo novo e arisco. Potro domado, recentemente. Cavalo manso que se tornou selvagem. Reprodutor, pastor, animal não castrado. Espantadiço, bisonho, arisco, abrutalhado, rude, rosseiro, bravio, indômito, bonito, vistoso, muito grande. Aplica-se também a pessoas, tanto no sentido pejorativo elevado.  


Barbaridade - barbarismo, exprime espanto, admiração, surpresa.

Barbaquá- Tipo de forno utilizado para secagem de erva mate. O fogo é feito em um buraco que é ligado por condutores de calor ao carijo ou tatu, de forma que a erva recebe calor indiretamente.  


Barbicacho – Peça de seda torcida, de trança de couro cru ou mesmo de sola, que o gaúcho usa para prender, geralmente por baixo do queixo, o chapéu à cabeça.  


Bicheira - Ferida nos animais, contendo vermes depositados pelas moscas.  


Bidê - Mesinha de cabeceira.  


Bombacha- Peça (calça) que caracteriza o gaúcho.  


Boleadeiras- Conjunto composto de três pedras ligadas entre si por tentos torcidos. Duas pedras tem o mesmo tamanho e a terceira que é menor tem o nome de manicla, por ser empunhada pelo homem. Entre ou gaúchos, as pedras são retovadas de couro. Entre os índios, não.  


Bolicheiro - Dono de bolicho.  


Bolicho - Casa de negócio.  


Bugio - Pelego curtido e pintado, em geral forrado de pano.

Buenacho- Muito bom, excelente, bondoso, cavalheiro.  


Cabeçada- Peça de couro que, cingindo a cabeça do animal e passando-lhe por trás das orelhas, serve para segurar o freio na boca.  


Cabresto - Este apetrecho serve para ser posto na cabeça do cavalo, imagina que o cavalo esta solto no campo(no pasto), e o peão usa o cabresto para pegar o animal e depois de pegar o cavalo.  


Cachaço
- Porco não castrado, barrasco, varrão.  


Cacho - A cola, o rabo do cavalo.  


Candeeiro - Carreiro. Homem que, de aguilhada ao ombro, segue adiante do carro de bois, como que ensinando-lhes o caminho.  


Cagaço- Grande susto, medo.  


Calavera - Indivíduo velhaco, caloteiro, caborteiro, vagabundo, tonto, tratante.  


Capão - Diz-se ao animal mal capado, Indivíduo fraco, covarde.

Capataz - Administrador de uma estância ou de uma charqueada.

Carreira- Corrida de cavalos, em cancha reta.  


Caudilho- Chefe militar, manda-chuva.  


Cavalo de Lei - Animal muito veloz.
 


Cevador - Pessoa que prepara o chimarrão e distribui entre os que estão tomando.  


Chilena - Espora grande de papagaio virado e grandes rosetas, muito usada pelos campeiros e domadores.  


Chimango - Alcunha dada no Rio Grande do Sul aos partidários do governo na Revolução de 1929.  


China - Descendente ou mulher de índio, ou pessoa do sexo feminino que apresenta algumas das características étnicas das mulheres indígenas.


Chineiro - Grande número de chinas, índias ou caboclas.

Chirú - Índio velho, indivíduo de raça cabocla.


Cincha - Serigote sobre o lombo do animal.


Colhudo - Cavalo não castrado, diz-se do sujeito valente, que enfrenta o perigo, que agüenta o repuxo.


Cuiudo- O mesmo que colhudo.


Costelar ou Costilhar - carne assada que se tira da parte que fica imediatamente em cima das costelas do boi.


Criolo de Marca - Diz-se do animal que nasce na propriedade de determinado estancieiro e recebe a sua marca.


Cusco - Cão pequeno, cão fraldeiro, cão de raça ordinária. O mesmo que guaipeca.


Daga - Adaga, facão.


Despilchados- Mal vestidos, sem dinheiro ou bens.


De vereda - Imediatamente, de momento, de uma vez.


Doma- Ato de domar. Ato de amansar um animal xucro.


Domador- Amansador de potros. Peão que monta animais xucros.


Diacho- Diabo, na expressão "Que diacho".


Duro de boca - Diz-se do animal que não obedece à ação das rédeas.


Duro de Pelar - Difícil de fazer, trabalhoso.


Embutido - Carne, fígado, sangue e outros produtos, acondicionados em tripa, para se conservarem. Salame, lingüiça, mortadela, patê, morcilha, queijo de porco.


Encardido - Feio, carregado, ameaçador, complicado, difícil de entender.


Entrevero - Mistura, desordem, confusão, de pessoas, animais ou objetos.


Erva-Caúna - Variedade de erva mate de má qualidade, amarga.

Erva-Lavada - Erva já sem fortidão por ter servido para muitos mates.


Estar com o diabo no corpo - Estar furioso. Estar insuportável.

Estribo - Peça presa de cada lado da sela, e na qual o cavaleiro firma o pé.


Estropiado - Diz-se o animal sentido dos cascos, com dificuldade de andar, em conseqüência de marchas por estradas pedregosas.


Facada- Pedido de dinheiro feito por undivíduo vadio, incapaz de trabalhar, que não pretende restituí-lo.


Facho - O ar livre. Usado na expressão sair do facho.

Fatiota - Conjunto de roupas do homem: calça, colete e paletó.

 

Fiador- Parte do buçal que cinge o pescoço do cavalo, passando-lhe pela região jugular. Alça colocada no cabo do relho para introduzir o pulso, também chamada fiel.


Fiambre- Alimento para viagem, geralmente carne fria, assada ou cozida.


Funda - Estilingue, bodoque.


Gadaria - Porção de gado, grande quantidade de gado, o gado existente em uma estância ou em uma invernada.


Galpão- Trata-se de uma grande construção, igualmente rústica, onde vivem os peões de campo, que comem e dormem.


Gado chimarrão - Gado alçado, xucro, sem costeio.


Gaudério - Pessoa que não tem ocupação séria e vive à custa dos outros, andando de casa em casa. Parasita, amigo de viver à custa alheia.


Gauderiar - Viver vida de gaudério, viver à custa de outrem, vagabundar vivendo às expensas de outrem. O mesmo que gandular ou fila.


Garroteado - Diz-se do couro que ficou macio em conseqüência de ter sido sovado.


Gringo - Denominação dada ao estrangeiro em geral, com exceção do português e do hispano-americano.


Guaipeca- Cão pequeno, cusco, cachorrinho de pernas tortas, cãozinho ordinário, vira-lata, sem raça definida.


Guapo - forte, valente, bravo.


Guaiaca - Cinto largo de couro macio, às vezes de couro de lontra ou de camurça, ordinariamente enfeitado com bordados ou com moedas de prata ou de ouro, que serve para o porte de armas e para guardar dinheiro e pequenos objetos.

Guri- Criança, menino, piazinho, serviçal para trabalhos leves nas estâncias. Guasca - Tira, corda de couro cru, isto é, não curtido. Homem rústico, forte, guapo, valente.


Haragano- Diz-se do cavalo que por haver estado solto durante muito tempo, sem prestar serviço, tornou-se arisco, espantadiço. Variação: aragano.


Iguaria - Culinária.


Indiada - Gauchada. Os próprios gaúchos, quando se referem amistosamente a outros gaúchos, dizem “os índios”, ou “a indiada”.


Invernada - Grande extensão de campo cercado. Nas estâncias, geralmente, há diversas invernadas: para engordar, para cruzamento de raças.


Jirau - Construção rústica constituída de uma espécie de leito ou soalho, em geral feito de varas brutas, destinado a receber produtos da lavoura ou da pecuária, ou o que nele se queria guardar. Armação onde se deposita a erva-mate para guardar.


Jogo de Osso - Jogo muito usado na fronteira, principalmente pela baixa camada social. Consiste no arremesso de um osso de garrão de vacum, chamado taba ou tava, sobre uma cancha plana, de chão nem muito duro, nem muito mole. Se o osso cai com lado arredondado para baixo é "culo" e perde quem arremessou. se fica para baixo o lado chato do osso é "suerte" e ganha quem efetuou o lançamento. Se ficar equilibrado sobre uma das extremidades, ocorre uma "Clavada". Ao lado da raia fica o depositário da parada, chamado "coimeiro". Jururu- Cabisbaixo, tristonho, abatido, melancólico, pensativo.


Lábia– Habilidade da conversa.


Légua - Medida itinerária equivalente a 3.000 braças ou 6.600 metros.


Lonca – Pele de animal, de onde os pêlos foram raspados. Os tentos de lonca são usados para trabalhos mais delicados de trança.


Lonqueadas- Peles de onde o pêlo foi raspado.


Macanudo- bom, superior, poderoso, forte, inteligente, belo, rico, respeitável.


Mangueira- Grande curral construído de pedra ou de madeira, junto à casa da estância, destinado a encerrar o gado para marcação, castração, cura de bicheiras, aparte e outros trabalhos.


Maneou- Manear o cavalo significa colocar-lhe a maneira, espécie de algemas de couro cru nas patas dianteiras – mãos – a fim de que não caminhe, ou caminhe pouco.


Manotaço- Pancada que o cavalo dá com uma das patas dianteiras, ou com ambas, bofetada, pancada com a mão dada por pessoa.


Minuano - Vento frio e seco que sopra do sudeste, no inverno, vem dos Andes.


Maragatos - Revolucionários que enfrentaram o governo rio-grandense em 1893 e 1923, em duas grandes e sangrentas revoluções, sem conseguir a vitória final pelas armas. A cor vermelha, sobretudo no lenço de pescoço, era o símbolo dos maragatos, cujo nome evoca uma lendária confraria do vale Nilo, antes da invasão berberisca da Espanha.


Matungo - Cavalo de pouca categoria. Muitas vezes o gaúcho se refere assim a um cavalo que admira, unicamente em bem de conversa, para não valoriza-lo demais.


Na Estica - Elegantemente vestido.


Nativismo - É o amor que a pessoa tem pelo chão que nasceu, onde é nato.


Negrinho- Designação carinhoso que se dá a crianças ou a pessas que se tem afeição.


Nó nas Tripas - pendicete, oclusão intestinal.


Num Upa - Num abrir e fechar de olhos, de golpe, rapidamente.


Oigalê - Exprime admiração, espanto, alegria.


Orelhano - Animal sem marca, nem sinal.


Origores - Fatias de polpa de pêssego secas ao sol, as quais podem ser comidas ao natural ou cozidas.


Pago- Lugar onde se nasceu.


Pagar Vale - Recuar, desistir de apostar, temer qualquer coisa, não aceitar o desafio da provocação.


Palanque- Esteio grosso e forte cravado no chão, com mais de dois metros de altura e trinta centímetros aproximadamente de diâmetro, localizado na mangueira ou curral, no qual se atam os animais, para doma, para cura de bicheiras ou outros serviços.


Pampa - O que tem a cabeça, metade dela ou apenas uma orelha branca e o resto do corpo de outra cor. Diz-se do gado vacum e cavalar. As vastas e extensas planícies do Rio Grande do Sul e do Plata, cobertas quase sempre de suculentas pastagens, onde antigamente existiam (na República Argentina, ao menos) os índios daquele nome. É, segundo Z. Rodrigues, um vocábulo da língua quíchua.


Papudo - Indivíduo que tem papo. Balaqueiro, jactancioso, blasonador.


Passar um pito - Repreender, descompor.


Patrão - O patrão, no meio rural é o dono da terra, o empregador. Nos centros de tradições gaúchas, que são estâncias simbólicas, o presidente da associação tem o título de Patrão.


Patrão - Velho - Deus.


Pelea - Peleja, pugilato, contenda, briga, rusga, disputa, combate.


Pelear- Brigar, lutar, combater, pelejar, teimar, disputar.


Pelego - A ele do carneiro com a lã; pele usada nos arreios; indivíduo subserviente, capacho.


Pereba- Ferida de mau caráter, de crosta dura, que sai geralmente no lombo dos animais.


Petiço- Cavalo pequeno, curto, baixo.


Pilcha- Adorno, jóia, dinheiro. Roupas, arreios, qualquer objeto de valor. Vestimenta típica do Gaúcho.


Piá - Menino, guri, caboclinho.


Piquete - Pequeno potreiro, ao lado da casa, onde se põe ao pasto os animais utilizados diariamente. Denominação também dada a filiações de CTGs.


Poncho- Espécie de capa de pano de lã, de forma retangular, ovalada ou redonda, com uma abertura no centro, por onde se enfia a cabeça. É feito geralmente de pano azul, com forro de baeta vermelha. É o agasalho tradicional do gaúcho do campo. Na cama de pelegos, serve de coberta. A cavalo, resguarda o cavaleiro da chuva e do frio.


Potrilho- Animal cavalar durante o período de amamentação, isto é, desde que nasce até dois anos de idade. Potranco, potreco, potranquinho.


Posteiros - O posteiro, no meio rural, é encarregado do posto, subdivisão da grande propriedade. Nos centros de tradições gaúchas os departamentos são chamados de Postos e ou encarregados do departamento são chamados de Posteiros.


Quarto- Um dos membros da rês carneada, traseiro ou dianteiro, com várias costelas.


Querência - É o lugar onde se vive.


Qüera - Homem destinado, desabusado.


Quincha – Cobertura de capim dos ranchos e dos galpões da campanha gaúcha. Há vários tipos de quincha, onde o capim mais empregado é o santa-fé.


Rebenque - Chicote curto, com o cabo retovado, com uma palma de couro na extremidade. Pequeno relho.


Regalo - Presente, brinde.


Regionalismo- Corrente artística voltada para os temas regionais, um dos ramos do romantismo, que pregava o abandono dos temos clássicos e a busca de temas nacionais.


Relho - Chicote com cabo de madeira e açoiteira de tranças semelhantes à de laço, com um pedaço de guasca na ponta.


Reponte - Ato de tocar por diante o gado de um lugar para o outro.


Sanga - Pequeno curso d'água menor que um regato ou arroio.


Sapecada - Ato de assar pinhões em figueira de grimpas, ou seja, de folhas de pinheiro já secas. Ação de sapecar.

Surra.


Serrana- Baile campestre, espécie de "Fandango".


Soga - Corda feita de couro, ou de fibra vegetal, ou ainda, de crina de animal, utilizada para prender o cavalo à estaca ou ao pau-de-arrasto, quando é posto a pastar.


Taipa - Represa de leivas, nas lavouras de arroz. Cerca de pedra na região serrana.


Talagaço - Pancada com tala. Chicotaço.


Talho - Ferimento.


Tapejara- Vaqueano, guia ou prático dos caminhos, gaúcho perito.


Tapera- Casa de campo, rancho, qualquer habitação abandonada, quase sempre em ruínas, com algumas paredes de pé e algum arvoredo velho.


Taura- Valente, forte.


Tchê - Equivale a "tu aí", ou "tu" simplesmente.


Tentos - Tiras ou fios de couro cru cortados a faca ao longo de couro, para trabalhos de trança.


Terneiro- Cria de vaca até idade de um ano.


Tirana - Cantiga e dança popular acompanhada de viola. Variedade do Fandango. Descompostura, xingamento.


Topete- audácia, arrogância, atrevimento, saliência da erva-mate que fica fora da água na cuia do chimarrão.


Tosa - Tosquia, toso, esquila.


Tradição- É culto dos valores que os antepassados nos legaram.


Tramposo - Intrometido, trapaceiro, velhaco.


Tranco - Passo largo, firme e seguro, do cavalo ou do homem.


Três-Marias - Boleadeiras.


Tronqueira- Cada um dos grossos esteios colocados nas porteiras, os quais são providos de buracos em que são passadas as varas que as fecham.


Tropeiro - Condutor de tropas, de gado, de éguas, de mulas, ou de cargueiros. Pessoa que se ocupa em comprar e vender tropas de gado, de éguas ou de mulas. Peão que ajuda a conduzir a tropa, que tem por profissão ajudar a conduzir tropas. O trabalho do tropeiro é um dos mais ásperos, pois, além das dificuldades normais da lida com o gado, é feito ao relento, dia e noite, com chuva, com neve, com minuano, com soalheiras inclementes, exigindo sempre dedicação integral de quem o realiza.


Truco - Jogo de cartas de naipe espanhol, popularíssimo ainda hoje na fronteira castelhana do Rio Grande do Sul. O truco é irmão do truque jogado pelos caipiras do centro do Brasil.


Tirador - Espécie de avental de couro macio, ou pelego, que os laçadores usam pendente da cintura, do lado esquerdo, para proteger o corpo do atrito do laço. Mesmo quando não está fazendo serviços em que utilize o laço, o homem da fronteira usa, freqüentemente, como parte da vestimenta, o seu tirador que, por vezes, é de luxo, enfeitado com franjas, bolsos e coldre para revólver.


Uru - Pássaro das matas do rio Grande do Sul, parecido com a perdiz, pertencente à família das Phasianidae.


Urucungo - Cavalo ruim, imprestável. Sotreta, matungo, pilungo, urigungo.


Urupuca- Armadilha para pegar passarinhos. Trapaça.


Vacaria - Grande número de vacas. Grande extensão de campo que os jesuítas reservavam para criação de gado bovino.


Varar- Atravessar, cruzar.


Vareio- Susto, sova, surra, repreensão. Diz-se dar ou tomar um vareio.


Vianda - Refeição fornecida em domicílio em marmitas. Marmita.


Vivente - Pessoa, criatura, indivíduo.


Xaleco - Espécie de colete usado pelos maragatos.

Xepa - Comida.


Xiru- O mesmo que chiru.


Xucro - Diz-se do animal ainda não domado, chimarrão, bravio, esquivo.


Zaino- Diz-se do animal cavalar ou muar de pêlo castanho escuro Zorrilho*

 

Zunir- Ir-se apressadamente .

 

 

 

        

 

Página Inicial